Blog Labor

Fim do ano letivo: muito além das avaliações dos alunos

Para gestores da educação, o período é de avaliação interna. Quais pontos a instituição precisa trabalhar para o próximo ano?

Encerrada a rotina de provas, boletins e avaliação dos alunos, chegou o momento de fazer uma autoavaliação institucional. Hora de a equipe gestora desenvolver um processo consistente, que contemple pontos importantes para toda a comunidade envolvida com a instituição.

 

O que é a avaliação institucional?

É o processo de pesquisa e comunicação feito pela própria escola junto aos seus diversos públicos. Alunos, pais, parceiros, organizações apoiadoras e comunidade participam ativamente desta avaliação, levando a equipe gestora a identificar os principais ganhos e problemas, para desenhar estratégias que levem a novos avanços no próximo ano letivo.

Nesse processo de avaliação são identificados os principais fatores que interferem positiva ou negativamente no desempenho da instituição. Afinal, formar alunos e cidadãos mais preparados depende também do plano pedagógico e estratégico da própria escola.

 

Pontos importantes para realizar a avaliação

Algumas perguntas podem orientar uma avaliação institucional. Tenha em mente que para cada escola o processo é diferente e cabe à equipe de gestão desdobrar e conduzir a avaliação da forma mais assertiva possível.

- Qual o padrão de qualidade de aprendizagem que a nossa escola possui hoje? Qual é a meta para o próximo ano? Como atingi-la?

- Quais os principais desafios da escola durante o ano letivo? Como obter subsídios para trabalhar neles?

- Quais são os objetivos da escola? Até que ponto eles fazem parte do interesse da comunidade?

- De que forma alunos, pais e professores podem participar de modo mais ativo na rotina escolar?

 

O papel dos gestores

A equipe gestora de cada escola pode definir formas e instrumentos para realizar uma avaliação mais eficiente e eficaz para sua comunidade.

O fundamental é que alunos, pais, professores, funcionários e gestores reflitam sobre os desafios e potencialidades da escola e se responsabilizem pelas mudanças necessárias para superar os desafios e desenvolver os potenciais. Cabe aos líderes a responsabilidade inicial sobre a transformação! Estabelecer metas, indicadores, acompanhar o desenvolvimento das ações e, claro, compartilhar resultados e boas práticas.

Afinal, queremos construir uma escola com um alto nível de aprendizagem e precisamos dar condições para que isso aconteça.

 

Primeiro passo: ouça seus públicos

Como ouvir cada segmento? Reuniões? Via Internet? Urnas? Rodas de conversa por segmento?  WhatsApp? Quais instrumentos serão utilizados? Técnicas participativas? Questões Objetivas?

Depois de ouvir a todos e levantar os desafios, é hora da devolutiva para a comunidade. Lembre-se que o foco principal é a aprendizagem dos alunos, essencial na missão da escola.

O processo de avaliação participativo é trabalhoso, mas resulta em ações consistentes para toda a comunidade escolar, permitindo inclusive que os estudantes avancem no papel de protagonistas de seu futuro.

 

Quer saber mais?

Conheça a Labor Educacional. Há 27 anos trabalhamos por uma Educação melhor no Brasil.