Blog Labor

Pequeno Projeto Didático: o que é?

Entenda um pouco mais sobre a metodologia que faz parte da Proposta Pedagógica da Labor Educacional

 

Transformar o conteúdo dado em sala de aula em experiências significativas e marcantes para os alunos. Este é o principal objetivo do Pequeno Projeto Didático, desenvolvido pela Labor Educacional a partir da análise de experiências bem-sucedidas em escolas de todo o Brasil.

“Essa forma de ensinar não tem nada de muito diferente, extraordinário ou novo: vários professores já fizeram uso dela, sendo que alguns deles utilizam-na constantemente. Trata-se, fundamentalmente, de planejar o ensino, dando sentido ou conferindo significado para os conteúdos que se está ensinando, lançando mão, para tanto, de uma ação motivadora para os alunos.” – Proposta Pedagógica Labor, fascículo 4

Para entender melhor o que é uma ação motivadora, você, professor, pode resgatar em suas próprias lembranças da escola quais foram as atividades que marcaram sua trajetória. Elas realmente levaram você a aprender determinado conteúdo ou disciplina porque, de alguma forma, a metodologia aplicada foi diferente, seja pelo perfil do professor ou por iniciativa da própria escola.

PPD para incentivar o protagonismo

O Pequeno Projeto Didático (ou PPD) tem como foco um assunto bastante conhecido por nós: o protagonismo das nossas crianças. Adaptar a metodologia e torná-la mais atrativa aos olhos dos alunos é o caminho que a maior parte das escolas vem trilhando nos últimos anos.

Chamamos de pequeno projeto didático uma unidade de ensino curta, estruturada em torno de uma ação mobilizadora envolvendo a construção ou a aquisição de algo que seja significativo para o aluno.

O PPD nada mais é do que aquilo que você já faz no dia a dia: estruturar o conteúdo da disciplina e planejar como será aplicado na rotina de estudos. A duração do seu plano é que diferencia o PPD de um plano escolar para o ano todo. A proposta da Labor é que você planeje pouco a pouco, conteúdo a conteúdo, a metodologia que irá utilizar. Isso pode envolver atividades externas, uso de recursos multimídia em sala de aula e o compartilhamento com outras disciplinas.

Vamos a um exemplo prático?

Imagine que o próximo conteúdo que você vai passar aos alunos são as operações básicas de Matemática, como soma, subtração, multiplicação e divisão. Para ensiná-los as fórmulas, você vai preparar um mini-mercado em sala de aula. Cada aluno vai levar um alimento que tem em sua casa. Pode ser uma fruta, um litro de leite, um pacote de arroz. Os alunos vão organizar os alimentos de acordo com as categorias e depois farão as compras. O número de itens será somado ao final de cada compra, e a compra será dividida entre os membros da família. Além de iniciá-los nas operações básicas de Matemática, você também vai inserir as Atividades da Vida Diária na disciplina.

Este é um Pequeno Projeto Didático que pode ser estendido durante dois ou três meses, com pequenas modificações. A experiência certamente será significativa para os alunos, que atuarão como protagonistas do processo: eles mesmos selecionam os produtos e fazem os cálculos.

 

“Num PPD, o ensino deve estar estruturado em torno de algo que seja significativo. Ele deve despertar o desejo de aprender os conteúdos previstos: seja porque estimula a curiosidade do aluno, seja porque o que se aprende é condição para obter algo que é significativo.”

 

Quer dicas práticas para estruturar o seu PPD? Acompanhe os próximos textos aqui no blog da Labor. Vamos falar sobre o plano prático e pontos importantes, como a importância da mobilização dos alunos para colocar sua metodologia em ação.