Labor Educacional

Educar com inovação: um mundo de possibilidades

Fazer diferente pode ser mais simples do que você imagina. Para aplicar a inovação em sala de aula, organização, criatividade e planejamento são fundamentais

Quando você pensa em inovação, a primeira ideia que vem à cabeça se parece com cenário de filme. Laboratórios super modernos, cheios de robôs produzindo coisas incríveis. Mas você sabia que o conceito de inovação vai muito além disso? E mais: aplicá-lo em sala de aula é uma tarefa que pode tornar-se simples e eficiente com um pouco de organização e planejamento.

A amplitude da inovação

O termo inovação refere-se a tudo aquilo que é novo. No mundo conectado onde vivemos hoje, inovar é verbo presente – mas nem sempre precisa estar ligado a recursos altamente tecnológicos. Tudo o que você faz de diferente em sala de aula pode ser considerado inovador.

Uma aula de matemática onde os alunos praticam a teoria simulando uma compra de supermercado. Uma aula de inglês onde os alunos ajudam a traduzir um filme. Atividades que só precisam de organização e criatividade podem ser facilmente inseridas no conceito de inovação dentro da educação.

Por que é importante pensar em educação inovadora?

Porque as crianças que estão em sala de aula hoje são muito diferentes. Aptidão para a tecnologia – é como se elas nascessem sabendo mexer em smartphones – e protagonismo são características comuns à maioria das crianças. Elas sentem necessidade de aulas mais dinâmicas, interativas, onde participem diretamente do ensino. O professor ajuda a dialogar. E este diálogo é altamente inovador, além de aumentar a atenção dos alunos ao conteúdo das disciplinas.

“Observamos também que quando se consegue tranquilizar os alunos, sua capacidade de concentração e aprendizagem aumenta. Não seria então o caso de preparar um pouco os alunos para aquelas atividades que vão exigir mais concentração, mais exercício mental?” – Proposta Pedagógica Labor, fascículo 3 – A escola no mundo moderno.

Como aplicar a inovação nas minhas turmas?

Por vezes, dar um passo à frente requer dar um passo atrás. Se a sua escola ainda carece de inovação, este pode ser um bom momento para começar a mudança. O ano letivo está só no início e ainda dá tempo de criar novas atividades. A seguir, confira um pequeno passo a passo baseado na Proposta Pedagógica Labor.

Lembre-se que a proposta é baseada na participação ativa de todos aqueles que compõem o ambiente escolar. A sugestão é que você crie uma metodologia simples para reunir boas ideias e, futuramente, elaborar um Pequeno Projeto Didático.

1. Autoavaliação

Escreva em um papel o seu nome, em que ano e que matéria leciona. Fale um pouco sobre você: qual é sua missão em sala de aula? Quais são os pontos fortes e os desafios percebidos na rotina de ensino?

2. Análise da classe

Hora de escrever sobre seus alunos. Quais são as potencialidades deles? O que você já percebeu sobre eles durante o processo de aprendizagem? Dificuldades, interesses; o que gostaria de ensinar a eles, nesses próximos meses; como eles reagem às atividades propostas em sala. Aqui, vale fazer um breve mapa mental do meio social dos alunos: como é a família, a comunidade, o bairro onde a escola fica.

3. O que você pode fazer para inovar?

Pense em assuntos que gostaria de desenvolver com os alunos nos próximos meses, e como pode ensinar a disciplina de forma diferente. Estes temas podem surgir de conversas com as próprias crianças e também pela troca com outros professores. A inovação vem do compartilhamento de ideias!

A importância do lúdico

O “lúdico” é citado constantemente na educação. Mas, apesar dessa frequência, você já parou para pensar em sua utilidade prática? Além disso, já se sabe em que espaços a ludicidade é realmente aplicado? Se os

Ler Mais

Esse tal de protagonismo

Alunos no centro do processo de aprendizagem: entenda melhor porque o protagonismo é peça importante na engrenagem educacional. Protagonista, segundo o Aurélio, é a personagem principal de uma história. O

Ler Mais