Labor Educacional

O ensino híbrido é a grande aposta para o novo normal das escolas

Perante aos desafios atuais interpostos à educação de distintos níveis, modalidades e contextos durante a pandemia e diante das aulas virtuais, é urgente e necessário retomarmos o significado o sentido, as teorias e as possibilidades de melhoramento das práticas pedagógicas por meio de metodologias ativas e do ensino híbrido, principalmente para o momento da retomada das aulas presenciais.

Você já pesquisou com seus alunos qual é o sentido da escola diante da facilidade de acesso à informação, sem limitações espaciais e temporais como são as aulas tradicionais, bem como diante da possibilidade de trocar ideias e desenvolver trabalhos colaborativos com jovens de todas as partes do mundo?

Faça esse teste e as respostas te convidará a pensar sobre a força das mudanças que estamos vivendo neste ano letivo, suas potencialidades e ameaças sob nossas práticas educativas, para os currículos e para as metodologias que tanto estávamos acostumados.

Mais do que nunca é preciso mudar nossa visão quanto ao processo ensino-aprendizagem, reinventar nossas salas de aula, analisar as contribuições trazidas pelos estudantes, os riscos e as mudanças advindas da interação com a cultura digital, da integração das TDIC (Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação) que indiscutivelmente está sendo inevitável, e das linguagens midiáticas à prática pedagógica para a criação de contextos autênticos de aprendizagem midiatizados pelas tecnologias.

E para melhorar o engajamento dos estudantes nos processos de ensino e aprendizagem no retorno ao ambiente escolar é necessário recontextualizar as metodologias de ensino diante das novas práticas ligadas à cultura digital, ou seja, o ensino híbrido já era tido como tendência para o século XXI e agora é a grande aposta para o novo normal das escolas ao integrar as mídias e as TDIC às aulas presenciais, somando o que há de mais rico das aulas online com as offline.

E você, está preparado(a)?

365 dias de uma consciência negra

Vamos refletir juntas/os/es? O Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, possui 54% de sua população composta por pessoas negras, ou seja, este grupo populacional representa

Ler Mais